BI: como tomar decisões mais assertivas em sua estratégia empresarial

O entendimento sobre o conceito de Business Intelligence (BI) já é de amplo domínio no ambiente corporativo. De tão utilizado, o termo se tornou quase um mantra repetido por consultores e provedores de soluções, dia após dia.   

De fato, é inegável que uma ferramenta de BI pode ser de grande auxílio para gestores de empresas de qualquer porte e segmento no sentido de fornecer subsídios para a tomada de decisão.

No entanto, em termos mais específicos, como ter certeza sobre as decisões a tomar? Como o Business Intelligence ajuda, de forma prática, a escolher o melhor caminho? Quais os benefícios efetivos de contratar uma solução de BI?

No post de hoje, vamos ampliar a discussão sobre a ação de uma ferramenta de BI, bem como apresentar as vantagens reais de sua utilização para a estratégia corporativa.Vamos lá?

Diferença entre dados e informação

Inicialmente, é necessário definir de forma inequívoca a diferença entre esses dois conceitos que, por serem comumente usados em conjunto, podem levar ao entendimento de que se tratam de sinônimos.

Na verdade, “dado” diz respeito a qualquer referência em estado bruto. Grosso modo e de forma geral são os números coletados em determinado processo ou procedimento corporativo, que são armazenados em um relatório ou planilha. Isoladamente, eles não possuem valor para a empresa, embora sejam a matéria prima para a criação de informação.

Quando recebem um tratamento, ou seja, são processados e relacionados com outros dados eles passam a ter um significado e se transformam em informação. Assim, por exemplo, é possível identificar tendências e começar o planejamento de estratégias com base nessas informações.

Informação + contexto = conhecimento

Embora possa fornecer subsídios que ajudam na tomada de decisão, as informações isoladamente não proporcionam a vantagem competitiva desejada pelas empresas. É preciso ir além, incluindo elementos referentes ao contexto em que essas informações foram obtidas e as relacionando com outras informações e cenários.

Para as organizações pouca valia têm as informações que não proporcionam um “saber” que agrega valor ao negócio. Esse saber, produzido com base nas informações armazenadas, recebe o nome de conhecimento, elemento necessário para que sejam apontados caminhos e soluções aos gestores.

De forma geral, podemos dizer que a criação de conhecimento é o processo de inserir significado às informações. É nesse processo que surge a força do BI, que fornece a inteligência que permite obter conhecimento a partir de dados e informações, de maneira rápida e efetiva.

Análise a partir de dados reais

Naturalmente, um gestor não pode pautar suas decisões com base em “achismos” de qualquer natureza. Ainda que intuição e senso de oportunidade sejam características que não devem ser desprezadas, as ações precisam ser tomadas de acordo com indicadores reais e palpáveis.

Assim, o BI surge como meio para obter as informações, oriundas de diversas fontes, oferecendo aos gestores a análise de acordo com o contexto apresentado. Mesmo aspectos de inteligência competitiva, ou seja, a coleta e análise de informações provenientes do mercado e relativas à concorrência podem ser avaliados com a utilização de ferramentas de Business Intelligence.

Business Analytics

Atualmente, os dados que as empresas têm à disposição são obtidos a partir de diversas fontes e em formatos múltiplos. Além disso, a quantidade de informação cresce a cada dia sendo necessário agilidade para organizar esse volume de dados de modo que apresente respostas rápidas e relevantes.

Nesse cenário, podem ser usados recursos de Business Analytics (BA), que possibilitam a geração de indicadores baseados em fontes diversificadas e em grande quantidade. Em geral, as boas soluções de Business Intelligence trazem consigo características também de BA, algo que não pode ser desprezado por empresas que buscam vantagem competitiva.

 

Em resumo, as ferramentas de BI são úteis no sentido de oferecer respostas rápidas para tomadas de decisão que possibilitem o atendimento ao planejamento estratégico da organização. Sem essa característica, são apenas “transformadores” de dados em relatórios. Para se mostrar efetiva, uma completa solução de Business Intelligence precisa ajudar o gestor na obtenção de insights que se traduzam em valor para empresa.

Mais que isso, o BI deve auxiliar no processo de aprendizagem organizacional e contribuir para a redução de riscos e o aproveitamento de oportunidades. Naturalmente, a implementação vai depender bastante dos objetivos que se busca e do tipo de negócio, mas as ferramentas de BI se ajustam às necessidades que se apresentam nos mais diversos contextos.

Por fim, para conseguir tomar decisões mais assertivas e de acordo com a estratégia da empresa, o gestor precisa ter as ferramentas de BI adequadas e devidamente configuradas, sob pena de não alcançar todo o retorno que essa poderosa tecnologia tem a oferecer. Nesse sentido, a orientação de pessoal experiente e especializado pode fazer toda a diferença.

Gostou do post? Quer saber mais? Entre em contato conosco agora mesmo!

2 comentários em “BI: como tomar decisões mais assertivas em sua estratégia empresarial”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *