As oito tendências de Big Data mais relevantes para 2017

O ano de 2017 será bastante agitado para o universo do Big Data, por dois motivos. Primeiro, porque o volume de dados estruturados e não-estruturados continua crescendo a um ritmo alarmante. Segundo, porque as empresas estão precisando urgentemente extrair um maior possível valor de seus dados, para poderem monetizá-los. E isso está, inevitavelmente, colocando muita pressão nos departamentos de TI e preocupando os gestores.

Somente com o Big Data é que eles conseguirão processar e gerenciar seus dados adequadamente e extrair todo o valor de que precisam. E é justamente por isso que veremos mais empresas investindo em soluções de Big Data e capacitando suas equipes para analisarem e compreenderem os dados coletados. A seguir, mostraremos as oito tendências de Big Data mais relevantes para 2017.

1. A Cloud Computing dará mais suporte ao Big Data

O grande volume de dados exige que as empresas o armazenem em um local seguro e escalável, que evite violações massivas e expanda à medida em que ele cresce. A cloud computing é o local escolhido por muitas empresas, pelo fato dela reduzir ou eliminar custos com infraestruturas locais de TI e se expandir facilmente. Em 2017, mais dados serão armazenados na nuvem, e essa tecnologia dará ainda mais suporte ao Big Data.

2. O Data Preparation se tornará ainda mais relevante

De nada adianta ter uma estrutura para coletar e processar dados, se não há uma para combiná-los e organizá-los de forma rápida e eficiente para sua posterior análise. É por isso que mais organizações darão importância ao Data Preparation (no português, Preparação de Dados) e adotarão as soluções oferecidas por empresas especialistas em Business Analytics, principalmente àquelas que lidam com dados de vários tipos e formatos.

3. Big Data e Business Intelligence se unirão

Big Data e Business Intelligence são duas tecnologias que se complementam. Enquanto a primeira ‘minera’ os dados com precisão, a segunda proporciona um melhor entendimento da base de dados e facilita tomadas de decisão estratégicas. Em 2017, em vez de terem equipes e ferramentas distintas para Big Data e BI, muitas empresas passarão a uni-las e trabalhar por meio de uma única infraestrutura.

Em 2017, o Big Data se tornará mais acessível financeiramente, graças às soluções Big-Data-as-a-Self-Service. Isso será muito benéfico para as pequenas empresas, que não podem investir em sistemas avançados nem contratar uma equipe de cientistas de dados. Essas soluções também livrarão os cientistas de tarefas operacionais – como configurações de máquinas – e os permitirão se concentrar em atividades mais estratégicas.

5. A governança de dados se tornará indispensável

Após as soluções de Data Preparation estruturarem e organizarem os dados e os deixarem num estado em que podem ser trabalhados, os gestores precisam governá-los. Essa governança engloba tarefas como aumentar a segurança dos dados, para que eles não sejam roubados ou perdidos, e mapear a árvore genealógica deles, para entender como foram gerados. A governança estará na lista de prioridades de muitos gestores esse ano.

6. Mais esforços se voltarão para a integração de fontes de dados

Quanto mais fontes de dados estiverem integradas, mais transparentes serão os processos da empresa. E com isso, os gestores conseguem explorar melhor o ambiente corporativo e detectar oportunidades escondidas. É por isso que, em 2017, muitos gestores não pouparão esforços na integração de suas fontes de dados. Mas para isso, eles precisarão contar com ferramentas de análises que se conectam a uma ampla gama de fontes

7. A segurança da IoT ganhará ainda mais relevância

Muitos governos e órgãos reguladores intervirão na fabricação de dispositivos IoT (como geladeiras, sensores, lâmpadas, relógios e fechaduras, que se conectam à internet e colhem dados de seus usuários que posteriormente são processados pelo Big Data). Os fabricantes terão que tomar certas medidas para aumentarem a segurança de seus dispositivos, se quiserem continuar coletando e processando os dados gerados por eles.

8. A variedade dos dados aumentará os investimentos

Ao contrário do que muitos pensam, não será o grande volume de dados e a alta velocidade em que eles são gerados que aumentará os investimentos em Big Data, mas sim a variedade deles. Isso é que diz que uma pesquisa feita recentemente pela New Vantage Partners. E como os formatos de dados estão aumentando, as ferramentas de análise precisarão ter a capacidade de se conectar com diversas fontes.

Conhece alguma outra tendência que deixamos de citar? Então aproveite para falar sobre ela nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *